sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Análise: Crash Bandicoot 1


Galera do United Gamers, finalmente voltei! E agora trago para vocês uma análise do Crash Bandicoot, um clássico inesquecivel e muito carismatico do PlayStation 1, grande console da minha infância, e acredito eu que ele marcou a infância de vocês também. Para quem não o conhece (se é que existe alguém que não o conheça), Crash Bandicoot era o mascote da Sony nos anos 90, mas perdeu a exclusividade nos anos 2000, tanto que hoje em dia, se acha jogos dele até para Iphone. Crash Bandicoot teve vários títulos, como suas sequências Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back!, Crash Bandicoot 3: Warped, Crash Bandicoot 4: Wrath of Cortex e Crash Bandicoot 5: TwinSanity! (também conhecido só como Crash TwinSanity!). Crash Bandicoot também teve vários Spin-Offs, como Crash Team Racing, Crash Bash, Crash Nitro Kart, Crash Tag Team Racing e Crash Boom Bang!. Mas a análise mesmo é do jogo, então sem mais delongas, vamos lá:

O começo de uma longa série de aventuras loucas!


Bom, a história do jogo (ou dá série) começa no laboratório de Dr. Neo Cortex, junto de seu capanga Dr. Nitrus Brio, onde ambos estão modificando um grupo de animais. Como de costume, os vilões sempre querem dominar o Mundo, e essa história também não é diferente em Crash Bandicoot. Cortex e Brio, querem modificar animais para fazerem um exército, para poderem dominar o mundo, onde fazem mutações com um Canguru, um Koala, um Potorro e um Bandicoot. Todos eles dão certo, menos o Bandicoot, que por um acidente do Evolve Ray, que é uma maquina de mudar os animais, que foi feita pelo Nitrus Brio. Na verdade, o culpado de tudo mesmo é o próprio Cortex, pois Brio disse que a maquina ainda não estava pronta, mas mesmo assim Cortex insistiu para usá-la já desde então. Com esse erro tremendo, Crash Bandicoot consegue fugir do Castelo (onde fica o laboratório), mas esquece sua namorada, Twana Bandicoot, o que faz com ele tenha que voltar para o castelo. Para quem não entendeu, essa maquina de mutação fazia com que os animais ficassem do mal, mas Crash Bandicoot não adquiriu maldade, sendo assim, o único animal a não ter pego maldade do Evolve Ray. Depois de fugir do castelo, Crash Bandicoot acorda em uma praia da ilha, não lembrando de nada, apenas de seu objetivo, onde ele segue em frente, derrotando inimigos, cientistas e até mesmo os animais que ele estava junto antes de sua transformação, mas agora eles estavam do mal, querendo fazer nada mais do que destruir Crash Bandicoot. Como você observou, a história do jogo é muito boa, como também muito bem planejada para o primeiro jogo de uma série muito longa que viria em frente.

História boa, gameplay bom!


Bem, o gameplay do jogo é muito bom, pois você conta com vários golpes do Masurpial, onde ele gira, dá uma rasteira e também se agacha, para se proteger de tiros e outros objetos de lançamento. No jogo, você também conta com a mascara Aku-Aku, que lhe dá no jogo proteção, mas se você levar dano, a mascara é destruida, tirando sua proteção, mas é cláro que existiram outras mascaras para frente, óbviamente. Essa mascara também sobe de nível, onde se você tiver já uma mascara e for pegar outra, você ganhara uma dupla proteção, onde se você levar dano, você perderá só um nível, e continuará com o original. A mascara também tem o seu nível 3, onde você fica invencivel (em um estilo parecido da estrela do Super Mario), destruindo tudo que você vê em sua frente, e você nunca levará dano (se é invencivel, é lógico que você não leva dano -_-), e apenas encostando nos inimgos já os mata, mas esse poder da mascara de invencibilidade é só por um curto tempo, pois depois de uma certa hora, você volta a ficar no estado do nível 2. O jogo também conta com o poder do pulo, que é bastante óbvio estar em jogos plataforma, mas o pulo nesse jogo tem dupla importância, não só para evitar buracos ou inimigos, mas também para matar chefes. E falando em chefes, no jogo você tem 6 para derrotar, esse chefes são Papu-Papu, Ripper Roo, Koala Kong, Pinstripe Potorro, Dr. Nitrus Brio e Dr. Neo Cortex. No jogo você também conta com as frutas Wumpa, que são uma espécie de maça misturada com pessêgo, onde se você pegar 100 delas, você ganhará um vida. No jogo você também contará com várias caixas, sendo elas as ? Boxes, Wumpa Boxes, TNT Boxes, Nitro Boxes e as Iron Boxes. O jogo ele também teve vários itens para se coletar, onde te dão vidas e outros recursos. O primeiro jogo da série já recheado de coisas, imagine então os jogos seguintes da série.

Por traz da criação do Masurpial!



O que poucos sabem, é que Crash Bandicoot teve muitas mudanças em sua fase de criação, entre elas o seu nome, que originalmente seria Willie The Wombat e sua aparência, que seria muito mais puxada para o Taz, o Diabo da Tasmânia dos Looney Tunes. A Naughty Dog, a criadora do Masurpial, teve vários projetos antigos para o Bandicoot, mas todos foram rejeitados pela Sony e a Universal, que estaria apoiando a Sony no desenvolvimento. Originalmente, a Universal insistiu que a Naughty Dog colocasse o nome do Masurpial de Willie The Wombat, mas a Naughty Dog, como esperta, rejeitou o nome, ameaçando abandonar o projeto se o nome do Bandicoot não fosse Crash Bandicoot. A Naughty Dog, como parceira da Sony, lançou o jogo exclusivamente para o PlayStation 1, fazendo se assim, o mascote da Sony. De acordo com ela mesmo, Crash Bandicoot foi feito para competir com Super Mario e Sonic The Hedgehog, da Nintendo e da Sega, pois como de costume, todo o console tem que ter um mascote em suas costas, esse mascote do PlayStation 1 era o Crash Bandicoot. O contrato da Universal com a Naughty Dog só durou 3 anos, fazendo se que a Naughty Dog abandonasse o Masurpial. Muitos fãs preferiam o Crash Bandicoot nas mãos da Naughty Dog, pois atualmente os jogos do Crash Bandicoot perderam sua qualidade, e alguns deles são realmente horríveis, eu preciso mencionar o Crash of Titans e o Crash Mind Over Mutant nessa lista? Acho que não, já que os fãs já conhecem esses lixos da série, e para mim, a série Crash morreu no Crash Tag Team Racing, pois nenhum dos próximos jogos agradou os fãs, na verdade, nenhum deles possúia algo relacionado com a série. Atualmente a série parou de ter jogos, sendo considerada morta nessa geração, mas não se preoculpe, o Masurpial ainda voltar (isso se a Activision deixar, já que os direitos dele estão nas mãos dela atualmente).

Gostaram da postagem caros leitores? Se sim, aguardem por mais análises aqui no United Gamers, pois eu prometo, mais para frente terá análises de outros jogos da série Crash Bandicoot. Essa postagem fica por aqui pessoal, até a próxima postagem =D

9 comentários:

  1. Crash 1 é é épico, nem preciso falar. Crash of the Titans pra mim ficou uma droga, mas o Mind over mutant, mesmo tendo a mesma jogabilidade do Titans, melhorou bastante em relação ao Titans e tem uma história bem interessante!

    Mas preferia o Crash morando em N.Sanity Island ¬¬ (a partir do Titans eles agora moram em Wumpa Island)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o Mind Over Mutant já tenta voltar ao estilo clássico da série, por exemplo, a Coco está com o seu visual antigo nesse jogo =)

      Eu também não gostei desse negócio de morar em Wumpa Island, essa ilha não tem nada a ver com a série (exceto o nome), gostava muito de quando ele morava em N.Sanity Island =D

      Excluir
  2. Crash!Um dos personagens que marcou a minha infância eu ainda tenho aqui todos os seus jogos do ps1 na caixa com manuais e tudo! :3
    Boa análise shadow Mario! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem todos? Meu Deus! Você é um colecionador em tanto XD

      Excluir
  3. Serviu muito pra mim você ter feito essa ótima,pois eu nunca joguei Crash(XD),porque eu nunca tive um N64 nem um Play 1,e achava que o jogo era bobo demais,mas agora vi que não é,e vou tentar baixa-lo para rodar no emulador(é o único jeito,porque jogo de play1 é difícil de achar).
    Vlw!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que você nunca jogou? Então você perdeu muito tempo, mas não se preoculpe, também existe jogos do Crash para PS2 GF, são bem legais para se brincar, principalmente os de corrida =D

      Excluir
  4. Crash, esse jogo marcou minha infância cara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que marcou a infância de todo mundo (Menos o GF, como ele disse), afinal, os jogos deles são ótimos, principalmente o Crash Team Racing para PS1, lembro até hoje que de tanto eu jogar, meu dedo começou a sangrar de tanta jogatina XD

      Excluir
    2. KKKKKKKKKKKKKK Isso só acontecia comigo em jogos de luta XD

      Excluir