segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Chrono Trigger: Saga Pós-Fama

Por quanto tempo você ficou esperando por uma continuação de Chrono Trigger Dez anos A sua vida toda Na realidade, fãs esperam isso, em seu sub-consciente, desde do nascimento, mas vamos fingir que isso não é verdade. Para quem é desesperado para colocar as mãos em interações da franquia RPG de Akira Toryama (fundador da empresa Square-Enix e criador da lendária série DragonBall), que capaz de contar os dias, se perguntando como sobreviver à tanta espera... Bem, ainda não podemos fazer nada para recompensar esse seu sentimento angustioso.

O quê diabos aconteceu com Chrono Trigger Houve uma época, acredite se quiser, na qual a grande maioria estava feliz e apoiava vórtices temporais. Hordas de fãs faziam filas ao relento em sua honra e qualquer um que ousasse criticar o menino ruivo de cabelo não-penteado era enforcado, castrado e afogado... E por bons motivos! Porém, certo dia, tudo isso mudou. Os admiradores do passado, logo se tornaram os odiadores do presente e aqueles que ainda gostavam da série foram obrigados a se esconder nos subterrâneos do planeta.

Obviamente, isso é um dramático exagero, mas uma parte é verdade. O ódio pela empresa “Square” não ter desenvolvido muita coisa relacionada à série, causou um imenso buraco no coração de cada fã. Talvez seja pelo controverso de Direitos Autorais altamente restrito da empresa (que não é mais comandada pelo Toryama – que descanse em paz), ou talvez porque algumas pessoas só queriam ser “cool” jogando o game simplesmente para finalizá-lo e “partir para outro”.

Mesmo assim, alguns jogadores talvez tenham ficado genuinamente decepcionados depois de tantas interações insatisfatórias... Independente se você se encaixa nessa categoria, está pelo menos curioso para saber algumas interações de Crono, menos conhecidas, certo

Antes de começar, vamos explicar um pouco sobre o primeiro game da série.

Chrono Trigger

Produção: SquareSoft (atualmente, Square-Enix)
Distribuição: SquareSoft
Gênero: RPG
Plataforma: Super Famicom (Super Nintendo)
Ano: 1996
Jogadores: 1
Idioma: Japonês
Traduções: Sim
Status: Finalizado

Chrono Trigger foi originalmente lançado para Snes, pela empresa SquareSoft (atual Square-Enix), alguns anos após o surgimento da empresa. A produção foi coordenada pelo próprio fundador da produtora, Akira Toryama. Desde de seu lançamento em 1996, a produção ganhou ótimas críticas públicas, além de prêmios na categoria.

É óbvio que, se você andou acompanhando as notícias sobre Chrono Trigger, já sabe que, em sua essência, o game é um RPG no sentido mais puro do termo. Batalhas baseadas em turnos, experiência, personagens joviais que são arrogantes demais para a sorte que possuem – se você ama essa fórmula está tudo lá. Mas os elementos não tão óbvios que irão arrancar elogios de todos.

As pessoas estão por aí soltando frases dizendo que o game “levou o RPG para à uma nova era” ou “o único RPG simplesmente perfeito em todos os aspectos” e, mesmo que essas frases nos façam sentir náuseas, ousamos dizer que, no caso, elas estão próximas da verdade.

A maior evolução foi no sistema de batalhas, que esbalda estratégia e artimanhas táticas. O antigo e esgotado sistema de encontros randômicos foi levado para uma sala escura e baleado. Buscando alguma inspiração em “Final Fantasy”, todos os inimigos do game são visíveis e imploram para serem destruídos.

Para completar, a possibilidade de encontrar quinzes finais diferentes, dependendo de seu desempenho no jogo, foi simplesmente inovadora. Tudo isso não apenas aumenta o ritmo do game, é também menos enfurecedor do que ser forçado brigar à cada dez segundos, quando um inimigo invisível o desafia do nada. Não conseguimos enxergar nenhum futuro nesse método...

Porém, por mais que amemos Chrono Trigger, por mais emocionante que seja a trilha sonora emocionante e o enredo envolvente de “Akira Toryama”, nada irá superar nosso ódio profundo pela empresa que criou os melhores jogos do história. Pode soar estranho... Mas, é a pura realidade.

Nota Final: 10,0


(Se você não conhecer Chrono Trigger, obviamente. O que não é o caso, pois não acreditamos existir uma pessoa que tenha desperdiçado tanto a sua vida, até agora)

Chrono Trigger – Jet Bike Special



Produção: SquareSoft
Distribuição: Desconhecida
Gênero: Corrida
Plataforma: Super Famicom (Super Nintendo)
Ano: 1995
Jogadores: 1
Idioma: Japonês
Traduções: Não.
Status: Desconhecido.

Jet Bike é estranho. Sinta-se à vontade para inventar quantas descrições quiser, mas a entidade de separar um único momento do próprio Chrono Trigger original e comercializá-lo individualmente é claramente distorcida. Mesmo assim, não existe base sólida para considerar essa produção como um jogo genuíno. Especialmente, porque surgiram não existe muita especulação sobre os motivos que levaram a SquareSoft à criar o game. Além disso, pouquíssimas cópias foram distribuídas e apresentavam alguns defeitos no próprio Super Famicom.

Em sua essência, Jet Bike é um simples game de corrida em que é possível re-jogar unicamente a corrida entre “o homem” (uma espécie de robô-homem que fundiu-se com uma motocicleta), presente no game original. As únicas diferenças que pudemos encontrar são dois modos de game, em que um deles é incluído um “tempo-limite” para terminar a corrida. No resto, é praticamente igual. Vale considerar também que o “jogo” não tem objetivo algum, a não ser ganhar ou perder para jogar a fase novamente.

É uma pena que o modo seja tão fraco. Seus únicos pontos positivos, devem-se ao game original (em que corridas são secundárias), mas como um título de diversão rápida pode até entreter.

Nota Final: --
Se tivéssemos que analisar alguma coisa, seria somente o ‘Title Screen’. Pois, afinal, ele é uma cópia do que foi feito no original. Mas, o quê aproveitar dele é simplesmente um pouco do que chamamos de “pai do 3D”. Se fossemos indecentes o suficiente para analisá-lo não daríamos mais que três, em sua nota final.  De qualquer forma, não é divertido.



(obs: Infelizmente por algum motivo,, o jogo não funciona no emulador Zsnes 1.51. Por esse motivo, somente nesse caso, aconselhamos o emulador Snes9x, caso você queira jogar a ROM)

Chrono Cross

Produção: Square-Enix
Distribuição: Square-Enix
Gênero: RPG
Plataforma: Playstation
Jogadores: 1
Idioma: Japonês e Inglês
Traduções: Não
Status: Finalizado

Provavelmente, tentando atender ao desejo dos fãs, a Square-Enix decide criar um game com ao mesmo patamar Chrono Trigger.  O quê ela não esperava é que isso não causasse muitas diferenças na rebelião lendária.

Não há nada pior do que as mal-formadas opiniões de fedelhos computadorizados ao redor do globo. Gostaríamos de assassinar alguns n00bs que informam em seus blogs e sites mesquinhos que o game é uma genuína continuação da franquia CT. Sim, o jogo possuiu os  os mesmos vórtices-temporais. E, sim, a trilha sonora é relacionada a franquia. Mas, a perspectiva é totalmente diferente.

Na realidade, não existe  qualquer envolvimento com os personagens anteriores da série. Mas, não iremos dizer que isso nos decepcionou. Pois, afinal, podemos até dizer que é um jogo louvável para franquia. Ambientar os mesmo inimigos e sistema tático de batalhas à um novo enredo, é excelente.

Em um mundo aonde Akira Toryama ainda era vivo, decidiram escolher outros produtores para trabalharem na versão para Playstation. Foi a primeira vez oficial que tivemos a oportunidade de enxergar o “mundo” aonde Crono e seus amigos estiveram vivos anteriormente.

Por esses e mais motivos, iremos deixar a análise de Chrono Cross, para uma outra ocasião. Particularmente, podemos afirmar que o game dá à atender que Crono, Marle, Lucca e os demais personagens, morreram.

Nota Final: 9,0

Chrono Trigger – Nintendo DS



Produção: Square-Enix
Distribuição: Nintendo
Gênero: RPG
Plataforma: Nintendo DS/Playstation
Jogadores: 1
Período de Densenvolvimento:
Idioma: Japonês e Inglês
Traduções: Não
Status: Finalizado

Criar remakes é uma especialidade da Square. É muito visível que games consagrados fazem parte de sua imensa biblioteca. Sendo assim, muitas vezes eles optam por re-criar um mesmo enredo de um específico game.

Com a polêmica seguindo um rumo perigoso, Akira Toryama decidiu arregaçar as mangas e criar um remake do game para uma plataforma do século XXI. A jogabilidade e os gráficos continuaram os mesmos. Porém, para o deleite dos fãs, podemos aproveitar inovações que marcarão nossa vida para sempre (logicamente, isso deve ao fato de quê pouca coisa nova sobre Chrono Trigger tem sido criada).

Trata-se de cenas em vídeo desenhadas pelo próprio Akira Toryama, que aparecem durante o game. Dessa forma, podemos aproveitar do quê seria um próprio anime de Chrono Trigger. Para  dar o crédito que ele mais merece, o game é uma experiência que recomendamos muito - tanto para o lado claro como o sombrio da humanidade.

Se as mentes por trás das séries podem recriar algo tão bom, ao invés de começar do ponto do zero e criar um novo enredo – que continuem! Além das cenas nostálgicas, você poderá desfrutar de um final à mais foi incluído, considerado pelos fãs como um dos melhores. Ele estabelece uma ligação entre Chrono Trigger e Chrono Cross, contendo à participação de Magus, que está a procura de sua irmã Sarah na cena.

Se nos esquecermos um pouco de nosso profundo de preencher o nosso buraco no coração, com mais um Chrono Trigger, a versão de DS continua uma experiência familiar. Críticos como nós irão afirmar que você jogue, independente de quantas vezes já tenha “fechado” Chrono Trigger. Mas, os fanáticos irão continuar reclamando com a Square, por mais vinte anos, até que lancem uma continuação.

Cutscenes:

4 comentários:

  1. Post muito bom.
    Notei alguns defeitos nele:
    Você quis dizer que o Akira morreu?
    HAUSHAUSHAUS ele não morreu.
    E ele não é fundador da Square,o carinha se chama Hasashi Suzuki,se não me engano.
    E LeliJhon,faltou o Radical Dreamers!
    Mas não é pra tanto assim,porque o jogo é bem desconhecido,entretanto,acho que ele é essencial para este post.
    Flw!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérios problemas de pesquisa. O quê, realmente, é lamentável para um fã assíduo como eu. Na próxima, tomarei mais cuidado com minhas fontes de pesquisa.

      Excluir
    2. Na verdade não tem tanto problema assim,porque eu já vi gente errando muito mais (eu).Não é lamentável não cara acontece...só quis falar mesmo dos defeitos para você ter conhecimento deles.Mas post tá ótimo cara,eu li e foi muito bom relembrar a série,e caramba,odeio esses fans que vem cheio de teorias malditas (principalmente alguns espanhóis,sem ofensa),tentando explicar o porque de Chrono Cross ser a sequência de Chrono Trigger e tudo mais blá blá blá...mas o pior é que uma coisa é verdade: os três games da franquia tem duas ligações (que pelo que eu me lembre,é contada em Radical Dreamers):a Schala,a Kid e o Frozen Flame.Não vou entrar em muitos detalhes,mas seria bom se você incluísse em algum outro post (talvez na possível análise de Chrono Cross).

      Excluir
  2. foi lançado uma versão de chrono trigger no psone classic para PS3
    alguem sabe os idiomas disponíveis nessa versão

    ResponderExcluir