terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Analise: Sonic Shuffle


Sabe, não sou o tipo de pessoa que você pode considerar como fã de Sonic the Hedgehog. Antes eu fosse, mas hoje, nem tanto. Desde o DreamCast, não tivemos nenhum jogo decente do ouriço azul (Exceto Sonic Colors e Sonic Generations). O que poucos sabem, é que Sonic tem alguns Spin-Offs bem obscuros. Além de Sonic R, um terrível Game de corrida lançado para Sega Saturn, também tivemos outros. Um desses é Sonic Shuffle, produzido pela Hudson Soft (produtora da série Mario Party) e lançado para o DreamCast em 2001.


Como não é novidade pra ninguém, Sonic Shuffle se passa no mesmo Universo criado a partir do Sonic Adventure, com histórias exageradas e um Level Design terrível. Porém, aqui temos algo mais simples e pelo menos aceitável. Void, um monstro maligno, quer dominar o mundo dos sonhos, para assim transformá-lo em seu próprio mundo. NIGHTS (Conhecida por seus ótimos jogos) pede ajuda a Sonic e seus amigos, que partem imediatamente para essa aventura. Dr. Eggman aproveita o caso para atrapalhar os heróis e assim então dominar o mundo dos sonhos com Void.

Enredo simples e bacana para um jogo do Sonic, que chega a ser melhor do que muitos jogos atuais e principais da série. Sendo produzido pela Hudson Soft, o jogo puxa ao estilo ao Mario Party da vida. Mas quando digo que puxa, ele puxa MESMO. Temos tabuleiros, Minigames e até mesmo Espaços (Vermelhos, Azuis, etc). Lembrando que o jogo trabalha com Anéis e não com moedas, como a série do encanador faz.


O jogo tem um total de 8 personagens (Lista aqui), sendo quatro desbloqueáveis (Os últimos quatro que irei citar): Sonic, Tails, Knuckles, Amy Rose, Big the Cat, E-102 Gamma, Chao e Super Sonic (Shadow The Hedgehog pra que né?). A lista é boa, mas pelo amor de Deus, Super Sonic? Por que? Existiam personagens muito mais interessantes, como o Shadow The Hedgehog e o Metal Sonic.

Enfim, vamos deixar essa palhaçada de lado e falar do Gameplay. Se você já jogou Mario Party, vai se sentir jogando um dos títulos da série aqui. A jogabilidade é praticamente a mesma, apenas incluindo elementos da franquia do ouriço. Vale citar que existes partes do tabuleiro, que apenas um personagem pode ir (Exemplo: Parede com o símbolo do Tails, onde ele pode voar e ir naquela parte). Existem apenas 5 tabuleiros que, apesar de serem grandes, ainda assim são poucos. Os Minigames são divertidos e criativos, pelo menos na minha opinião. Cada um é único, e trazem estilos bem bacanas (E sim, temos 4-Player Minigames, 1 VS 3-Players Minigames e etc).


Sei lá porque, mas gosto dos gráficos desse jogo. Claro, não são grande coisa, mas os visuais dos personagens me lembram bastante das versões clássicas. O Sonic meio barrigudinho e um pouco menor me fez até curtir seu visual. Tirando os gráficos das CGs do Story Mode, que são ridículos.

Cada tabuleiro tem sempre o mesmo objetivo: Devemos ir até onde a Emerald e pegá-la. Aliás, quando joguei esse jogo, não entendi como funcionava isso. Eu acreditava que era preciso comprar ela com os anéis, mas quando vi que o CPU, mesmo com nenhum anel, conseguiu pegar ela, desisti dessa teoria. Os anéis servem mais uma pontuação mesmo, nada obrigatório.

Você acha que é mais fácil sem o sistema de compras? Nada disso. Quando pegamos uma Emerald, diretamente vamos a uma batalha, contra um inimigo especifico. Como batalhamos? Usamos um conceito de cartas, que inclusive, é a base do Party Mode do Game. Vou explicar de forma resumida e fácil de entender:

As cartas trabalham (Ou funcionam, entenda como quiser) na mesma base dos dados da série Mario Party. Aqui temos um número de 1 a 6, e podemos escolher em qual Espaço iremos cair. Mas cuidado, se você se aproveitar das melhores cartas, ficará sem nenhuma no momento necessário. Durante os Turnos, podemos pegar cartas extras em alguns Espaços, que ajudam bastante. Esse elemento das cartas e do número de 1 até somente a 6, foi incluído nos novos títulos da série do encanador.

Enfim, voltando as batalhas com os inimigos. Ele irá tirar um número de 1 a 6 (Obviamente), e você precisa ter uma carta maior do que a do número que ele tem. Sinceramente, as batalhas são fáceis e bem chatas. Tirando os Final Bosses que o final de cada tabuleiro apresenta, esses Mini-Chefes das Emeralds são ridículos.



Como disse enquanto contava a história, Dr. Eggman terá sua participação no Game. Em alguns Turnos, ele aparece e atrapalha o jogador que está em primeiro, arrancando seus anéis. De vez em quando, também teremos que participar de Minigames feitos por ele. Um exemplo deles é esse ai da imagem, onde o jogador deve escolher uma das 5 latinhas de refrigerante, sendo que quem pegar a com gás será punido pelo Dr. Eggman.

Além do Party Mode, temos a possibilidade de jogar os Minigames, o Story Mode (Que é como o Party Mode, mas com foco na história do Game), alguns modos extras e etc. Com 3 amigos em uma mesma partida, chega a ser bem divertido, principalmente se forem aqueles seus amigos azarados que só fazem cagada nas partidas.


Enfim, Sonic Shuffle é um jogo que divide opiniões. Enquanto alguns o acham um dos piores jogos da série, outros o acham como um jogo bom. Pessoalmente, até gosto do jogo. Claro, é praticamente um Mario Party no Universo do Sonic, mas pelo fato de ser feito pela Hudson Soft, ele tem lá seu charme. Os gráficos são até que bonitos, a jogabilidade é boa (Afinal é Mario Party) e os Minigames são bem criativos até, nada perto dos de Crash Bash ou da própria série do encanador, mas são bacanas.

Sinceramente, este Game foi o único "decente" do ouriço no DreamCast, digamos. É um jogo mediano, mas se comparado com a série Sonic Adventure, chega a ser bem mais dinâmico. Mesmo que ambos se passem no mesmo Universo, esse jogo tenta trazer um pouquinho da magia da série clássica. É um Spin-Off que, para pessoas como eu que são fãs de Mario Party, chega ser um bom título.

Prós:

Os gráficos são bem bonitos.

O visual puxa pro lado clássico da franquia.

Jogabilidade e Minigames criativos, até porque foi a Hudson Soft que fez.

Sei lá... A história é boa pra esse tipo de jogo?

Contras:

Muita coisa aproveitada da série Mario Party.

Mini-Chefes ridículos e CGs do Story Mode mais ridículas ainda.

A interação do Dr. Eggman ao Story Mode poderia ser bem melhor.

Diálogos irritantes e imbecis feitos pela turma do Sonic no Story Mode.

Nota: 7.0

Gostou da postagem? Comente e deixe sugestões. Lembrando que prometi fazer a analise desse jogo na postagem Especial sobre a série Mario Party, e fiz inteiramente aqui, pra você querido leitor ler. Se quer alguma analise, é só pedir nos comentários (Ou no United Gamers Cbox, se não tiver conta no Blogger). Essa postagem termina por aqui caros leitores, até a próxima postagem! =D

5 comentários:

  1. Smario o Shadow provavelmente não apareceu pois ele estreou em sonic adventure 2 e o sonic shuffle foi criado antes dele,ótima analise sempre quis jogar esse jogo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, esqueci desse fato. Recomendo jogar em um Emulador de DreamCast, o jogo apresenta coisas bem interessantes.

      Excluir
  2. Ótimo post Shadow Mario.

    Estranho esse jogo...nunca ouvi falar dele.Mas não tenho vontade de joga-lo,já que posso pegar Mario Party,que eu acho bem superior.E também emular DreamCast em PC é fogo,é um pouco complicado.Do DreamCast,o único que me interessa é Shenmue.E só.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Eu considero esse jogo como um Spin-Off de Mario Party, é até bom. Shenmue é ótimo mesmo, as vezes tenho vontade de baixar um emulador de DreamCast só pra jogar esse jogo novamente. Mas meu PC é horrível, provavelmente não iria rodar.

      Excluir
    2. Pois é,só que o emulador de DreamCast não é tão bom quanto o Snes 9X ou Epsxe,então fica difícil emular muitos jogos.Mas acho que seu PC roda sim...o emulador não deve ser muito pesado.

      Excluir