domingo, 11 de maio de 2014

Analise: The Legend of Zelda - Ocarina of Time 3D


Saudações caros leitores! Hoje trago para vocês a analise de um dos melhores jogos de todos os tempos (Se não o melhor), The Legend of Zelda - Ocarina of Time! Mas, especificamente para essa analise, resolvi pegar a versão 3D lançada ao Nintendo 3DS, simplesmente porque foi onde tive a oportunidade de rejogar esse grande clássico do Nintendo 64 (Onde tirando os gráficos, não há muitas diferenças entre as versões). Sem mais delongas, vamos lá!


The Legend of Zelda - Ocarina of Time, originalmente, foi lançado para o Nintendo 64 em 1998. Já sua contra-parte 3D, foi lançada em 2011 para comemorar os 25 anos da franquia. E como, consequentemente, Ocarina of Time foi o jogo mais bem sucedido da série, a Nintendo resolveu remasterizar o game para o Nintendo 3DS, trazendo novidades em relação a jogabilidade do portátil e gráficos melhorados.

A história do jogo, se inicia em um lugar fora dos campos de HyruleKokiri Forest. Lá, onde são habitados os Kokiri, semelhantes à elfos, conhecemos Link, o tão amado protagonista desta imensa franquia, que até então, era o único de sua espécie sem uma fada. A grande Deku Tree, alerta Navi, uma fada, sobre um homem amaldiçoado do deserto, chamado Ganondorf, que pretende conquistar o poder da Triforce, um místico triângulo que representa Força, Coragem e Sabedoria que pode dar a qualquer um o poder de dominar o mundo.

Navi vai de encontro com o Link, para avisá-lo sobre esse terrível futuro que Hyrule aguarda. O protagonista vai além de sua casa, para se encontrar com a Deku Tree, onde precisa derrotar uma criatura que vive dentro de seu caule. O herói então, acompanhado de sua fada e da Fairy Ocarina, presenteada por sua amiga Saria da Forest Kokiri, partem pelos campos de Hyrule em busca da Princesa Zelda para salvar o mundo.

 
O Gameplay, creio que não seja novidade para ninguém. Ocarina of Time é um Action-RPG, ou seja, um jogo de ação/aventura com elementos do gênero. Na versão original de N64, no canto superior direito da tela, tínhamos vários itens que poderiam ser usados a partir dos comandos do controle. Já na de 3DS, os itens ficam na tela de baixo do portátil. No caso, os botões X, Y e B ao serem pressionados, executavam um movimento a partir daquele item. Ao longo do jogo, iremos ganhar vários acessórios que nos ajudaram na trama, como a Master Sword, Ocarina of Time, Iron Boots, Special Tunics (Zora Tunic; que permite que o jogador respire embaixo d'água e Goron Tunic; que permite que o jogador fique em um lugar cheio de lava).

Em relação aos comandos do personagem, são bem simples. Com o analógico movimentamos Link e com o botão A, executamos "movimentos". Por exemplo, perto de uma plataforma alta, se apertarmos A, dependendo do tamanho dela, nosso personagem consegue subir nela. Já no caso de estarmos enfrentando um inimigo, o uso do botão será para atacá-lo com a Master Sword (Ou Kokiri Sword, se ainda estiver criança). Aproveitando o fato de ficarmos adultos após conseguir a Master Sword, vale citar que alguns itens que o Link usava quando criança (Fairy Slingshot e Boomerang, por exemplo), não podem ser usados no estado adulto. Por isso, se o jogador quiser usá-los novamente, terá que deixar a lâmina no altar do Temple of Time.

Inicialmente, a nossa busca gira em torno das Spiritual Stones para entrar no Temple of Time, onde obtemos a Master Sword. Porém, depois disso, temos que ir em busca dos Medallions dos Sages, sábios que ajudaram Link a derrotar Ganondorf. Todos os sábios foram tomados pelas trevas do grande vilão, e cada um está localizados em um dos cinco tempos do jogo: Forest Temple, Fire Temple, Water Temple (Quem se lembra dessa desgraça aqui?), Shadow Temple e Spirit Temple.


O jogo é de mundo aberto, então podemos fazer várias coisas além das missões principais, como pescar e jogar minigames em troca de Rupees, por exemplo. As Rupees funcionam como dinheiro no Reino de Hyrule, então podemos comprar acessórios com elas. O jogo gira em torno de sete regiões em volta de Hyrule: Death Mountain, Zora's Domain, Lon Lon Ranch, Kokiri Village, Kakariko Village, Gerudo Valley e o próprio Hyrule Castle. Como o cenário é relativamente grande, contamos com a ajuda de nossa égua Epona para cavalgar nas respectivas regiões.

Por se tratar de um Action-RPG, Ocarina of Time traz vários Puzzles em suas Dungeons e Temples, envolvendo paredes secretas, blocos que podem ser movidos, objetos que mudam a física do cenário e por ai vai. Alguns, principalmente os dos Templos, podem dar dores de cabeça no jogador. Afinal, são bem complexos. Cada Dungeon e Temple, traz um Boss. Também há a inclusão de Mini-Bosses em cada uma delas, mas creio que nenhum é tão memorável quanto Dark Link e sua épica batalha no Water Temple. Os Bosses do jogo, respectivamente, são: Gohma, King Dodongo, Barinade, Phantom Ganon, Volvagia, Morpha, Bongo Bongo, Twinrova e é claro, Ganondorf.


Ocarina of Time sempre foi um jogo que me agradava (E ainda agrada) bastante. É sem duvidas um dos mais divertidos do N64 e 3DS, e eu poderia rejogá-lo várias e várias vezes. Porém, é impossível não se frustrar com o Water Temple. A grande quantidade de caminhos e coisas que precisamos fazer beira o confuso. E eu confesso que usei guia na época, com a revista Nintendo World que havia publicado uma matéria sobre o Water Temple. Isso soa meio vergonhoso, mas duvido que alguém passou dessa parte sem nenhuma dificuldade.


Graficamente, o jogo é lindo em suas respectivas versões. No Nintendo 64, para um jogo de 1998, era um grande avanço na indústria dos games, já que por sua vez, os cenários eram belíssimos e muito a frente da capacidade do seu tempo. Já no Nintendo 3DS, o jogo mostrou que os portáteis da Nintendo conseguem sim trazer visuais de encher os olhos. Já vi muita gente dizendo que os gráficos da versão original eram muito quadradões e feios, mas deve se lembrar que naquele tempo, os jogos 3Ds ainda estavam começando a surgir. E mesmo para os limites daquela geração, o jogo fazia bonito perto da concorrência.

O jogo traz várias curiosidades interessantes:

  • Inicialmente, o jogo seria lançado para o fracassado aparelho da Nintendo, conhecido como Nintendo 64DD. Porém, como o aparelho não vingou, resolveram portá-lo ao Nintendo 64 mesmo.
  • Mesmo assim, a Nintendo quis fazer uma versão "melhorada" que conhecemos hoje como Ura Zelda 64. Caso queira saber sobre esse jogo, clique aqui e confira essa excelente postagem feita por nosso redator GF
  • Navi foi sempre conhecida por ser estúpida e bem irritante. Sua famosa frase "Hey Listen!" e seus discursos ridículos já estressaram vários jogadores pelo mundo. E ironicamente, na versão 3DS do jogo, a Nintendo fez questão de deixá-la mais irritante, a fim de relembrar os bons tempos. Tô de olho nessa sua zueira, Nintendo.
  • Ocarina of Time sempre foi um jogo bem difícil, isso é inegável. Mas, só mais difícil que ele, é sua versão Master Quest lançada para o GameCube, onde deixa as coisas bem mais complicadas do que o normal. Na versão de 3DS, que inclui a Master Quest, além de ser tão difícil quanto na sua versão original de GameCube, ela espelha todos os cenários do jogo! Sim, isso é sério! Water Temple deve ficar terrivelmente horrível com isso.

A Trilha Sonora do jogo, é sem dúvidas uma das melhores feitas até hoje. Todas orquestradas, e muito bem produzidas. As canções que aprendemos para tocar em nossa Ocarina, os temas de cada cenário e etc são muito boas. Vou deixar algumas de minhas favoritas para vocês apreciarem:












E é claro, que não podemos esquecer da clássica música da Sheik, a alter-ego da Zelda:


E da música da corrida de cavalo:



Enfim, The Legend of Zelda - Ocarina of Time é um excelente game, e não é atoa que é considerado por muito o melhor jogo de todos os tempos. É divertido, desafiante, inovador, incrível e espetacular. Para mim, ao lado de Shadow of the Colossus, são os melhores jogos já criados, e eu espero que tanto a Team Ico, quanto a Nintendo, consigam manter esse fato lendário. Parabéns aos seus 16 anos, Ocarina of Time!

Gostou da postagem? Comente e deixe sua opinião! Mesmo com essa analise do jogo, eu espero mesmo que algum dia, alguém analise pra valer a versão do N64. Essa postagem termina por aqui caros leitores, espero que tenham gostado e até a próxima postagem! =D

3 comentários:

  1. Ótima análise Shadow Mario!

    Ocarina of Time é com certeza um jogo que nunca vou me esquecer.
    Até hoje me lembro das batalhas,dos puzzles,os momentos,e as músicas que o jogo tem.Aliás,até tenho a trilha sonora dele aqui no meu PC,com direito a um álbum remasterizado.

    Mas eu tenho que dizer uma coisa : acho Ocarina of Time um dos Zeldas mais fáceis de todos.Se tem um Zelda que é difícil mesmo,é o A Link to the Past.

    Até a temida Water Temple não me assustou nem um pouco,apesar de ser considerada uma dungeon difícil.E eu joguei a versão Master Quest.

    O problema mesmo para mim nessa dungeon não era o design,e sim ter que ficar apertando START toda hora pra tirar e colocar as botas de aço.
    Ainda bem que consertaram isso no remake de 3DS.
    Outra coisa que foi melhorada no remake é a câmera,que na minha opinião já era muito boa,mas não podia ser controlada livremente.Nesse remake,fazemos isso com o giroscópio do portátil.

    Interessante a versão Master Quest do OoT de 3ds espelhar os ambientes.Deve ser casca grossa para finaliza-la.

    Obrigado pelos elogios,e por ter lembrado daquela minha postagem.Foi bom você me lembrar porque eu sei que existem alguns erros nela,tanto que até um usuário comentou sobre isso naquela mesma postagem.

    Enfim,bela análise,Shadow,e belo jogo.

    Ah,e quem sabe farei uma análise da versão original desse grande jogo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Analise sua da versão original? Mal posso esperar então!

      Eu sinceramente acho o Ocarina of Time o jogo mais fácil de toda a série, mas já tive problemas na Water Temple. Ficar colocando e tirando as botas, ter que memorizar onde já foi e resolver os puzzles daquela dungeon de primeira é bem complicado. Depois, quando pega o jeito, passa de boa!

      Pra ser bem sincero, não gostei da versão de 3DS. Deixou o jogo muito mais fácil do que já era. Tá certo que o sistema das botas ficou muito melhor, mas mesmo assim, sinto que facilitaram demais as coisas.

      Excluir
  2. Ótima postagem Shadow Mario!

    Ocarina of Time depois do Majora's Mask, pra mim é o melhor jogo da franquia! Shigeru Miyamoto foi um gênio em expandir o universo com esse jogo, que abriu portas a todas as linhas do tempo da série.

    Um dia, ainda pretendo trazer uma analise de algum jogo, como você, mestre! XD

    Talvez vai ser o Majora's Mask mesmo! \o/

    ResponderExcluir