sexta-feira, 13 de junho de 2014

Analise: Wario World


Saudações caros leitores! Trago para vocês mais uma analise de um jogo para GameCube. Hoje, de Wario World, um Spin-Off da série Wario Land lançado em 2003 para o console, cujo é, até hoje, o único jogo 3D de aventura do Wario. Sem mais delongas, vamos lá!


A história do game se inicia dentro do riquíssimo Castelo de Wario, onde o encanador ganancioso está rindo sobre todo seu ouro. De repente, vindo do subsolo do castelo, The Black Jewel, uma joia cujo na verdade é uma criatura maligna, acorda de seu baú e destrói todas as riquezas de Wario como forma de punição, e promete vingança ao mundo sequestrando os Spritelings, pequenos seres que são os únicos que podem derrotar o The Black Jewel.

É nessa hora que Wario, se encontra em um "pátio" com quatro mundos. Ele deve então salvar os Spritelings e ajudá-los a derrotar o vilão, a fim de salvar seu tesouro e, respectivamente, o mundo. O enredo é realmente bem simples, mas não é o foco principal do jogo. Agora vamos ao que realmente interessa, o Gameplay:

Wario World usa o bom e velho padrão de jogos de plataforma 3D estabelecido pelo Super Mario 64. Mas diferentemente de qualquer outro jogo, ele se segue por uma jogabilidade 2.5D. Sim, o jogo não é de mundo aberto, mas isso não tira o brilho que é sua jogabilidade. Wario pode andar pelo analógico, pular pelo A, bater pelo B (Assim como carregar objetos e inimigos), dar um golpe acelerado pelo R e sugar moedas e outros objetos menores pelo L, de forma semelhante que o aspirador do Luigi faz no Luigi's Mansion. Há também outros "golpes" que Wario pode executar, como um Ground Pound com a A + R, ou um super salto giratório, com R + A.


Como dito anteriormente, após The Black Jewel ter destruído todas suas riquezas, Wario é teleportado a um "pátio". Esse pátio, chamado de Treasure Square (Ou Courtyard, como é listado na OST do jogo), apresenta quatro mundos com sua própria temática: Excitement Central (Temática de dinossauros) , Spooktastic World (Temática de Haloween), Thrillsville (Temática de gelo, pé de feijão e lava) e Sparkle Land (Temática de magia, deserto e pirata). Cada mundo apresenta duas fases e um Boss, sendo que ambas as fases que cada mundo apresenta, possui um mini-boss no final de cada.

Os inimigos desse jogo são bem variados. Temos dinossauros, esqueletos (Como o próprio Dry Bones que marca presença), Whomps, pássaros, palhaços, leões, múmias, bruxas e etc. Todos os inimigos, são divididos em classes: Pequenos (Cujo são matados por um só golpe), médios (Que após desmaiarem com uma certa quantidade de hits, podem ser pegos), grandes (Que possuem armas e demoram mais para desmaiar), voadores (São como os médios em relação a vida), lançadores de bomba (Onde possuem um casco gigante nas costas e atiram pequenas bombas), que podem ser utilizados (Exemplo: Uma estaca de gelo que pode grudar na parede) e etc.

O jogo apresenta 12 bosses no total, se considerar os Mini-Bosses. Todos eles, com exceção do SandWorm (Que aparece novamente no último nível, como um inimigo comum), aparecem unicamente em suas fases. Cada Boss principal do mundo, dá ao jogador uma Boss Key ao ser derrotado, que permite ir a outro mundo. São quatro chaves, que mais tarde liberam o "grande tesouro" que aguarda o jogador.


Cada fase do jogo, apresenta três objetivos principais: Vencer o chefe, recolher todos os oito pedaços da estátua de ouro do Wario e obter todos os oitos tesouros perdidos do Wario. Para lutar com o chefe, teremos que pegar uma determinada quantia de Red Diamonds, que estão escondidos em minigames. Esses minigames, se localizam em passagens com um grande X encima, onde só precisamos dar um Ground Pound para acessá-las. Esses minigames consistem em vencer pequenos desafios para alcançar o Red Diamond.

Existem passagens mais difíceis de acessar. Essas, com o desenho de dois retângulos, necessitam que peguemos um inimigo, para fazer um Ground Pound. Assim, fazendo mais peso para entrar. Esses minigames são bem mais complexos do que os normais. Ao contrário dos outros, eles viram algo semelhante aos desafios do Super Mario Sunshine. Precisamos cumprir certos objetivos ou simplesmente alcançar um certo lugar onde está o Red Diamond. Nesses minigames, o cenário fica totalmente 3D, diferentemente do gameplay normal do jogo. Depois de pegarmos todos os Red Diamonds, só precisamos chegar na área determinada, e lutar com o chefe.

Os oitos pedaços da estátua dourada do Wario, estão espalhadas por toda a fase, inclusive nos minigames. Portanto, é sempre importante vasculhar, já que ao completar toda a estátua, meio coração é adicionado na barra de vida do Wario. Ambas as fases de cada mundo apresentam estátuas douradas, o que nos dá um coração completo se pegarmos todos os pedaços. Por isso, é essencial pegá-los, já que na batalha final, para termos mais vantagem, precisamos ter a mesma barra de vida do The Black Jewel.

Os oito tesouros perdidos, apesar de estarem na lista de tarefas de cada fase, não são obrigatórios. Eles são itens colecionáveis, nos quão dão minigames do Wario Ware, Inc..: Mega Microgame$!. Para jogá-los, o jogador precisa de um Game Boy Adapter, no qual liga o Game Boy Advance ao GameCube. A ideia é até interessante, mas como o adaptador não vem junto ao jogo, fica complicado testá-los e faz com que os tesouros, sejam nada mais do que meros itens opcionais de serem coletados, afim de concluir o jogo 100%.


Como eu disse, Wario tem uma barra de vida representada por corações. Ao levar dano de um inimigo, perdemos meio ou um coração inteiro (Isso depende da classe do inimigo). Para recuperar nossa vida, contamos com Garlic, que na tradução seria alho. Sim, para recuperar nossa vida, precisamos comer esses alhos. Cada um, preenche um coração inteiro. Eles são encontrados em pequenos baús (Ao lado de moedas), ou por um vendedor nada simpático chamado Garlic Dispenser. Ele é um grande alho que, quando nos aproximamos, começa a fazer ruídos tentando convencer o jogador de comprar um de seus alhos. Ao ponto que vamos progredindo no jogo, seu alho começa a ficar mais caro, portanto é bom sempre coletar moedas.

Isso inclui também para quando você morrer. Ao invés de nos jogar para fora da fase, ou voltar a um Checkpoint (Que na verdade não existe aqui), a tela de morte apresenta um grande "Game Over" e nos dá a chance de tentar de novo por mil moedas. O valor também sobe, assim como o jogo vai ficando mais difícil. Um fato bom de citar, é que quando caímos de um penhasco ou buraco, não morremos. Na verdade , caímos em uma região abaixo do solo cercada por fantasmas, que roubam nossas moedas com mordidas. Para sairmos do local, precisamos estourar as caixas na procura de uma mola, que nos tira de lá. Muitas caixas possuem bombas dentro delas, nos qual não servem pra nada.

Ao ponto que nós vamos prosseguindo, a temática dessas áreas mudam (Assim como a dos minigames). E a cada fase, mais água é adicionada nelas. Essa água, além de nos atrapalhar em busca da mola, nos tira moedas se ficarmos sobre ela, então é bom evitar cair nos buracos.

Todas as fases, em si, são bem grandes. A maioria apresenta uma segunda área, no qual o cenário muda bastante a aparência e fica, constantemente, mais difícil. O fato delas serem, em sua grande maioria em 2.5D, pra mim traz uma cara única ao jogo. É um modo de deixar o game totalmente diferente dos demais de plataforma, o que pra mim, é muito bom.

O jogo traz uma Trilha Sonora bem variada. Pra falar a verdade, deve ser uma das melhores de um jogo de GameCube. O estilo musical sempre varia de fase em fase, o que é ótimo, já que as músicas se agrupam perfeitamente na atmosfera de cada fase. Confiram algumas:











Enfim, Wario World é um excelente jogo. É sem dúvidas o meu preferido de toda sua série Wario Land. O fato é, que mesmo que o joga seja muito bom, não teve uma recepção muito boa. Apesar de ter entrado para a categoria Player's Choice em 2004, por ter vendido mais de 260,000 cópias no Japão, a "critica especializada" IGN, disse: "The game is fine, but not as fine as a Mario game" (Que na tradução seria: "O jogo é bom, mas não tão bom quanto um jogo do Mario).

Até porque, realmente, Wario World é muito semelhante aos jogos do Mario, não é senhora IGN? Algumas criticas reclamam pelo jogo ser um pouco curto demais, e isso eu concordo. 12 fases, em si, são bem poucas. O jogo é até mais curto que Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back! do PS1 com suas 25 fases. Talvez seja isso o motivo pelo qual a Nintendo nunca fez uma sequência: Não foi muito bem aceito pela critica.

Mas o que eu acho, é que a Nintendo deveria ter visto a opinião dos jogadores também. Muitos que jogaram esse jogo que eu conheço, até hoje, tem ele como um de seus preferidos do GameCube. Sim, ele pode ser finalizado em um dia, mas isso não tira o brilho dele. É um excelente jogo de plataforma que pode divertir muito o jogador por horas. E poxa, é o único jogo 3D do Wario! Tá mais do que na hora de uma sequência Nintendo!

Curiosidades:
  • O site de Wario World, feito em meados de 2003 e 2004, é hoje, ironicamente, o site oficial da Nintendo.
  • Wario World foi um dos poucos jogos da Big N que não foi lançado primeiramente no Japão. Na verdade, o jogo só foi lançado no Japão em 2004, sendo que já estava nos Estados Unidos, Europa e Austrália em 2003.
Gostou da postagem? Comente e dê outras sugestões de postagens! Já jogou o game? Se sim ou não, não deixe de opinar nos comentários. Essa postagem termina por aqui caros leitores, até a próxima postagem! =D

3 comentários:

  1. Excelente postagem, afinal, é o Shadow Mario, é de se esperar sempre excelentes postagens XD

    Esse é um jogo que passa batido até hoje, eu poderia muito bem acompanhar uma série e tals, mas pretendo comprar e jogar por si só para descobrir. Ainda bem que meu Wii ainda está com um excelente estado.

    E pô, sua analise me deixou bem curioso. Eu sinceramente estou pouco me fudendo para a IGN e outras, eu quero me divertir porra! E diversão parece que tem de monte nesse jogo.

    Enfim, no aguardo de suas próximas postagens, assim como a dos outros redatores.

    ResponderExcluir
  2. Ótima postagem Shadow Mario,como de costume.

    Eu li mais à fundo a análise da IGN,e não vi nada demais nela.Digo,eles podem até estarem certos sobre a qualidade do Wario World.

    Disseram que é um jogo de plataforma padrão,com um bom level design,ótima mecânica,muita variedade,mas a dificuldade é mínima.
    Mas acho que o principal defeito do jogo é justamente aquele que você citou na análise : o game é muito curto.

    E é por isso que eu acho que a IGN deu uma nota 7,que ao meu ver é muito boa.

    Eu acho que não irei comprar esse jogo pois tenho outros na minha lista que me interessam mais.Contudo,eu posso pensar em baixa-lo quando eu comprar um controle de GC pro meu Wii,ou quando baixar o loader "Nintendon't".

    Falow,um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Zoeiro O Sem Limites14 de junho de 2014 12:37

    Jogão em. Lembro de ter jogado ele por volta de 2005 e 2006. O que eu mais gosto dele é a forma de combate aos inimigos, que ao meu ver, dá de 10 a 0 naquela bizarra do Super Mario 64.

    Enfim, ótimo post.

    ResponderExcluir